terça-feira, 14 de março de 2017

Keep the faith...



Há dias em que o mundo ao redor parece uma grande e pesada nuvem cinza... Nenhum raio de sol se atreve a atravessar o desânimo e a desesperança. Quando resolvemos um problema, logo atrás vem outro, ainda maior. E enquanto andamos, de um lado pro outro, tentando encontrar soluções, acabamos metendo o maldito mindinho na quina da cama.
Eu conheço bem esses dias. Tenho vivido muitos deles sucessivamente. Como uma avalanche de segundas-feiras a engolir minha últimas esperanças.
Em momentos como esses, em que nosso único desejo é não ter mais desejos, e dormir tal qual a dona Adormecida, nossa única salvação é manter a fé. Seja a fé em um deus ou deusa. Seja a fé em dias melhores. Seja a fé em nós mesmos.


Podemos perder amor, amigos, dinheiro, emprego, sonhos... Só não podemos perder a fé.

Sente-se no seu canto preferido da casa. Entoe um mantra ou uma canção que lhe faça bem. Acenda um incenso. Tome um banho. Ande descalço na grama. Reze. Ligue pra um amigo e fale sobre sua arte preferida. Cante alto. Dance feito doido. Caminhe sem rumo. Escreva. Pinte. Desenhe. Faça alguma coisa. Faça qualquer coisa que lhe faça bem, só não deixe sua fé ir embora... Ela é o único raio de sol capaz de mandar embora a nuvem cinza.

Agradeça às forças nas quais acredita. Agradeça, apesar de. Porque, por mais que tenhamos perdido, ainda temos muito. Olhe para o lado, e perceba quantas graças ainda estão enchendo suas mãos. Agradeça. E peça apenas, e tão somente, para que a fé permaneça dentro de você.

Eu estou aqui, tentando manter a esperança que só a fé é capaz de nutrir. Espero que você mantenha a sua.

De longe te mando um abraço apertado, e deixo o lindo do Bon Jovi ecoando em nossos ouvidos...

"Everybody needs somebody to love (mother, mother)
Everybody needs somebody to hate (please believe me)
Everybody's bitching 'cause they can't get enough
When it's hard to hold on
And there's no one to lean on

Faith!: You know you're gonna live trough the rain
Lord we've gotta keep the faith
Faith!: Dont you let your love turn to hate
Now we've gotta keep the faith

Keep the faith, keep the faith
Lord we've gotta keep the faith"

[Patrícia Pirota - abril de 2014]

segunda-feira, 13 de março de 2017

Assim... [Poemetos]


Assim tenho enfrentado os dias...
De cara lavada,
Roupa amassada,
Cabelo despenteado,
E com os pés descalços.

Assim tenho passado as noites...
Alma limpa das tristezas,
Cartas escritas, mas nunca enviadas,
Furacão no peito,
E com as asas cansadas.

Assim tenho vivido o amor...
Vestida de mim,
Despida de ti,
E vazia de nós.

[Patrícia Pirota]

domingo, 12 de março de 2017

Salvem a Professorinha! - Como planejo minha rotina de professora (Aulas e Cronogramas)

Enfim o tão aguardado post sobre como planejo minhas aulas e minha rotina em sala de aula! Porque a gente tarda, mas uma hora tudo se ajeita! =)

Como falei no vídeo [Se você ainda não viu, é só clicar AQUI], esse é o material que dá certo pra mim. Fui testando e desenvolvendo meus métodos ao longo dos anos [Esse ano, completo 18 incríveis anos como professora...], e compartilho aqui algumas das ideias que deram certo e que continuo utilizando.

Espero que possam ser úteis, e auxiliar a todos que, como eu, batalham por uma educação melhor e mais bonita.

Qualquer dúvida, deixem comentários no vídeo, que farei um vídeo especial, respondendo as perguntas sobre planejamento.

Em cada imagem, está a legenda do que ela representa. Pra saber bem explicadinho, é só assistir ao vídeo. ;)

Beijo procês!
Patrícia Pirota

Exemplo de aula feita no esquema de Mapa Mental

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Terceira pessoa do singular

Terceira pessoa do singular

Ela queria um romance.
Ele, uma crônica.
Ela queria sonetos de Vinícius.
Ele, versos de Cacaso.
Ela queria canções do Pink Floyd.
Ele, riffs dos Ramones.
Ela queria ser Capitu.
Ele, Brás Cubas.
Ela queria que ele fosse sua oração
[subordinada substantiva subjetiva.
Ele, que ela fosse sua coordenada alternativa.
Ela queria morar no amor.
Ele, no mar.
Ela foi embora pra Pasárgada.
Ele, pra uma cidadezinha qualquer.




Patrícia Pirota

sábado, 14 de janeiro de 2017

FIlme "Antes de Partir" (Ou sobre quando a morte nos leva um pedaço...)




Nos dois últimos meses eu chorei. Chorei litros. Chorei rios. E sim, adoro hipérboles.

Passei por inferno astral, aniversário infernal - afinal, não me venha com essa balela de dizer que chegar aos 30 é coisa fácil, porque não é coisa nenhuma! -, morte da vovó, acidente da mãe, trabalho, filme, livro, propaganda, música...

Ah! Pontequepartiu!!! Chorei até não aguentar mais chorar. Chorei até doer de tanto chorar. E, bem, eu tenho que manter a fama de coração de gengibre, por isso decidi parar com essa viadagem palhaçada!

Fonte: Adoro Cinema
Sexta-feira eu assisti ao filme "Antes de Partir" [Clica pra ir ver as infos do filme no Adoro Cinema], lançado em 2008, com Jack Nicholson [um dos melhores atores do Universo!] e Morgan Freeman [O cara é tão elegante, que até usando roupa de mecânico cheio de graxa ele ainda mantém o porte de lorde inglês].

Eu não lembro de algum dia já ter assistido a esse filme, de modo que essa deve ter sido a primeira vez. E já me bastou pra entender que não adianta mesmo ficar chorando.

Chorar pra desopilar o fígado? Tudo bem, afinal, infelizmente não dá pra sair espancando as pessoas por aí. Agora, chorar e se esconder debaixo das cobertas com medo da vida? Larga mão, companheiro! A vida é uma só, já cantava docemente o Poetinha...

O filme conta a história de Carter Chambers (Morgan Freeman), um homem inteligentíssimo, humilde, com um casamento estável e uma família linda. Ele trabalha como mecânico porque, sacomé, precisa sustentar a família. Um dia ele descobre que tem câncer e vai parar no hospital. Seu companheiro de quarto é nada menos que Edward Cole (Jack Nicholson), um bilionário arrogante que não suporta a si próprio, e, embora tenha muito dinheiro, Edward também tem câncer, afinal, as doenças não escolhem suas vítimas pela conta bancária.

Uma das ideias mais legais do filme é a tal da "Lista de Bota", que é uma listinha [quem ama lista, levanta a mão! o/] de coisas que a pessoa quer fazer antes de morrer. Bom, ambos estão em estágio de câncer terminal, e se juntam pra ir fazer as coisas que gostariam antes que a luz da vida se apagasse de seus olhos.

O filme é lindo. Engraçado. Comovente. Não poderia ser diferente, por se tratar de vida e morte. Não poderia ser ruim, tendo Nicholson e Freeman.

Daí vem a minha relação com o filme...